Foto: Beto Staino / Universo Produção / Divulgação


A Mostra de Cinema de Tiradentes 2018

Por Francisco Carbone


A Mostra de Tiradentes continua sua tendência de surpreender o cenário dos festivais brasileiros com uma largada de ousadia e frescor, sempre. O ano se inicia com essa Mostra que colocou Minas Gerais no mapa do cinema há 21 anos, com a Aurora sendo uma sessão essencial hoje para o cinema autoral do nosso país. É com Tiradentes que a gente espera continuar abrindo o ano, e sendo recebidos com seleções tão poderosas quanto essa, todo ano.


Troféu Vertentes do Cinema


Melhor Filme da Mostra Aurora

Pela construção de confinamentos de matérias e sonhos, pela união entre as linguagens ficcional e documental, pelo encontro de afetos através das dores comuns a todos nós no filme e no extra filme,

Lembro Mais dos Corvos“, de Gustavo Vinagre.


Melhor Filme de Toda Mostra de Cinema de Tiradentes 2018

Pela delicadeza e pela simplicidade de sentimentos que despertam explosões imagéticas, pela força dramática de planos inesquecíveis, pela doçura e pela humanidade com que insere uma classe muito diminuída no nosso país,

Arábia“, de João Dumans e Affonso Uchoa.


Os Vencedores da Mostra de Cinema de Tiradentes 2018


Melhor longa-metragem Júri Popular

Escolas em Luta” (MG), de Eduardo Consonni, Rodrigo T. Marques e Tiago Tambelli

Troféu Barroco;
Da Mistika: R$ 20 mil em serviços de finalização


Melhor curta-metragem Júri Popular

A Retirada para um Coração Bruto” (MG), de Marco Antônio Pereira

Troféu Barroco;
Da Ciario: R$ 5 mil em locação de equipamentos de iluminação, acessórios e maquinaria da Moviecenter;
Do CTav: 20 horas de mixagem e empréstimo de câmera por duas semanas;
Da Mistika: R$ 6 mil em serviços de finalização


Melhor curta-metragem pelo Júri da Crítica, Mostra Foco

Calma” (RJ), de Rafael Simões

Troféu Barroco;
Da Ciario: R$ 5 mil em locação de equipamentos de iluminação, acessórios e maquinaria da Moviecenter;
Do CTav: 20 horas de mixagem e empréstimo de câmera por duas semanas;
Da DOT Cine: duas diárias de correção de cor e máster DCP para curta de até 20 minutos;
ETC Filmes: Serviço completo de acessibilidade – legenda descritiva, audiodescrição e Libras para um longa de até 20 minutos.


Melhor longa-metragem pelo Júri Jovem, da Mostra Olhos Livres: Prêmio Carlos Reichenbach

Inaudito” (SP), de Gregorio Gananian

Troféu Barroco;
Da Ciario: R$ 10 mil em locação de equipamentos de iluminação, acessórios e maquinaria da Moviecenter;
Da O2 Pós: R$ 15 mil em pós-produção
Da Dotcine: máster DCP para longa de até 120 minutos


Melhor longa-metragem da Mostra Aurora, pelo Júri da Crítica

Baixo Centro” (MG), de Ewerton Belico e Samuel Marotta

Troféu Barroco;
Da Ciario: R$ 10 mil em locação de equipamentos de iluminação, acessórios e maquinaria da Moviecenter;
ETC Filmes: Serviço completo de acessibilidade – legenda descritiva, audiodescrição e Libras para um longa de até 100 minutos
Da O2 Pós: R$ 15 mil em pós-produção
Da Dotcine: máster DCP para longa de até 120 minutos


Prêmio Helena Ignez para destaque feminino

Julia Katharine, roteirista e atriz de “Lembro Mais dos Corvos” (SP)


Prêmio Canal Brasil de Curtas

Estamos Todos Aqui” (SP), de Chico Santos e Rafael Mellim

Críticas Relacionadas

Mostra de Cinema de Tiradentes 2018: Cobertura Crítica

Confira a cobertura crítica dos vinte e um anos do festival mineiro!

Crítica: Lembro Mais dos Corvos

"Agora eu vou dirigir o sol..."

Crítica: Arábia

A silenciosa estrada-odisseia do recomeçar

Crítica: Baixo Centro

Cinco perdidos numa noite densa

Crítica: Rebento

Investigação do feminino pelo passado

Crítica: Dias Vazios

A adolescência em ponto de fuga do todo

Crítica: Imo

O presente é mulher, o futuro é mulher

Crítica: Madrigal Para Um Poeta Vivo

O (grande) homem por trás da (grande) mente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados