trofeu-bandeira-paulista-foto

TROFÉU BANDEIRA PAULISTA 2016
(Criação da artista Tomie Ohtake)

 

PRÊMIO DO JÚRI INTERNACIONAL

Após serem exibidos na 40ª Mostra, os filmes da seção Competição Novos Diretores mais votados pelo público foram submetidos ao Júri Internacional, que escolheu os vencedores do Troféu Bandeira Paulista (uma criação da artista plástica Tomie Ohtake), nas categorias melhor filme de ficção, Menção Honrosa para duas atrizes e Prêmio Abbas Kiarostami, criado pelo júri para laurear um filme iraniano. Júri Internacional: Lita Stantic, Vasco Pimentel, Nicolas Klotz, Jeferson De, Bette Gordon e Peter Brosens.

MELHOR FILME

EL AMPARO, (EL AMPARO) de Rober Calzadilla.
| 2016 │ cor│ 99 min.│ Ficção│VENEZUELA.

MENÇÃO HONROSA DO JÚRI

ATRIZ – MIRJANA KARANOVIC, por A BOA ESPOSA (DOBRA ZENA).
|2016 | cor | 94min.| Ficção| SÉRVIA, BÓSNIA-HERZEGOVINA, CROÁCIA.

ATRIZ – LENE CECILIA SPARK, por SÁMI BLOOD (SAMEBLOD).
|2016 |cor| 110min. | Ficção | SUÉCIA.

PRÊMIO ABBAS KIAROSTAMI

MAAT (MAAT), de Saba Kezemi.
|2016 | cor | 92min. | Ficção| IRÃ.


PRÊMIO DO PÚBLICO

Além dos prêmios outorgados pelo Júri Internacional, o público da 40ª. Mostra escolheu, entre os estrangeiros, o melhor filme de ficção (The Handmaiden) e o melhor documentário (empate entre dois títulos: Gurumbé e Gaga), e os melhores brasileiros nas duas categorias (a ficção Era o Hotel Cambridge e o documentário Martírio).

Os dois títulos brasileiros receberão, da Spcine – Empresa de Cinema e Audiovisual de São Paulo, um total de R$ 50 mil, sendo R$ 35 mil para Era o Hotel Cambridge e R$ 15 mil para Martírio. Os dois filmes foram escolhidos pelo público da Mostra.

A escolha do público é feita por votação. A cada sessão assistida o espectador recebeu uma cédula para votar com uma escala de 1 a 5, entregue sempre ao final do filme. O resultado proporcional dos filmes com maiores pontuações é:

MELHOR FILME DE FICÇÃO INTERNACIONAL

THE HANDMAIDEN, de Park Chan-wook.
|2016 | cor| 145 min. | Ficção | Coréia do Sul.

MELHOR DOCUMENTÁRIO INTERNACIONAL

GURUMBÉ – CANCIONES DE TU MEMORIA NEGRA, de Miguel Ángel Rosales.
| 2016 | cor | 72min. | Doc| ESPANHA.

GAGA – O AMOR PELA DANÇA, Tomer Heymann.
|2015 | cor | 100min.| Doc. | ISRAEL, SUÉCIA, ALEMANHA, HOLANDA.


PRÊMIO SPCINE

MELHOR FILME BRASILEIRO DE FICÇÃO – R$ 35 mil

ERA O HOTEL CAMBRIDGE, de Eliane Caffé.
| 2016| cor| 93min.| Ficção| BRASIL, FRANÇA.

MELHOR DOCUMENTÁRIO BRASILEIRO – R$ 15 mil

MARTÍRIO, de Vincent Carelli, de Vincent Carelli.
| 2016| cor| 160min.| Doc.| BRASIL.


PRÊMIO DA CRÍTICA

MELHOR FILME INTERNACIONAL

DEPOIS DA TEMPESTADE (Umi Yori Mo Mada Fukaku), de Hirokazu Koreeda.
| 2016 │ cor│ 117 min.│ Ficção│Japão.

MELHOR FILME BRASILEIRO

PITANGA, (Pitanga) de Beto Brant, Camila Pitanga
|2015| cor| 90min. | doc.| Brasil.


PRÊMIO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ROTEIRISTAS E AUTORES

MELHOR ROTEIRO DA COMPETIÇÃO NOVOS DIRETORES

EL AMPARO, (EL AMPARO) de Rober Calzadilla.
| 2016 │ cor│ 99 min.│ Ficção│VENEZUELA.

Júri ABRA: Mariana Morgon, Paulo Weences Duarte e Lilian Iaki


PRÊMIO DA ABRACCINE

MELHOR FILME

A MULHER DO PAI (MULHER DO PAI), Cristiane Oliveira.
|2015| cor| 94min. |Ficção| BRASIL, URUGUAI.

JÚRI ABRACCINE – Humberto Silva, Luciana Veras e Willian Silveira.

JUSTIFICATIVA

Pela maneira terna e delicada no tratamento da relação entre um pai que não enxerga, uma filha adolescente e a professora de artes dos dois, que se insere entre os dois como presença disruptiva; pela dimensão humana com que são tratados personagens prosaicos na fronteira entre Brasil e Uruguai; pelo domínio de uma narrativa em que contrastes na psique dos personagens centrais se revelam de forma sutil; pelo equilíbrio entre estilística autoral e diálogo com o público, o prêmio Abraccine de melhor longa-metragem de diretor estreante na 40ª Mostra de Cinema de São Paulo vai para “Mulher do Pai”, de Cristiane Oliveira.


PRÊMIO HUMANIDADE

ANDRZEJ WAJDA
O Prêmio Humanidade da 40ª. Mostra, que o evento outorga todo ano a um diretor cuja obra reflete questões humanísticas, foi homenagem póstuma ao cineasta Andrzej Wajda, que ganhou uma retrospectiva especial, dentro do Foco Polônia. O prêmio foi entregue ao crítico polonês Tadeusz Lubelski, que levou o troféu para a Escola Wajda.


PRÊMIO LEON CAKOFF

MARCO BELLOCCHIO
Nesta 40ª Mostra, Marco Bellocchio foi homenageado pelo evento com o Prêmio Leon Cakoff e a apresentação do longa BELOS SONHOS, além de uma retrospectiva de 11 títulos do diretor.

WILLIAM FRIEDKIN
O diretor americano William Friedkin, também foi homenageado com o prêmio Leon Cakoff e a exibição de sete títulos, incluindo “O EXORCISTA” e “OPERAÇÃO FRANÇA”, longa que completa 45 anos em 2016.

ANTÔNIO PITANGA
O ator Antonio Pitanga também ganhou homenagem do evento com o Prêmio Leon Cakoff, além da exibição do documentário PITANGA, de Beto Brant e Camila Pitanga, e de dois filmes protagonizados por ele (BARRAVENTO e A GRANDE CIDADE).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados