Ficha Técnica
Direção: Jason Reitman
Roteiro: Diablo Cody
Elenco: Patrick Wilson, Charlize Theron, J.K. Simmons, Elizabeth Reaser, Patton Oswalt, Emily Meade, Collette Wolfe, Brady Smith, Louisa Krause, Ella Rae Peck, Hettienne Park
Fotografia: Eric Steelberg
Música: Rolfe Kent
Produção: Diablo Cody, Lianne Halfon, Mason Novick, Jason Reitman, Russell Smith, Charlize Theron
Distribuidora: Paramount Pictures Brasil
Estúdio: Denver and Delilah Productions / Indian Paintbrush / Mandate Pictures / Mr. Mudd / Right of Way Films
Duração: 94 minutos
País: Estados Unidos
Ano: 2011
COTAÇÃO: ENTRE O BOM E O MUITO BOM
A opinião
“Jovens Adultos” participa da nova fase do gênero independente do cinema, que nada mais é do que tentativas de inovação na sétima arte, experimentando a parte técnica, interpretativa e narrativa, equilibrando-se na união do drama, pop, modernismo, blasé, realismo, existencialismo e da tristeza, autoajuda, simplicidade, depressão. Tudo dosado com humor ácido, agressivo, sarcástico, verdadeiro, quase terapêutico. Entre os cineastas deste estilo, podemos destacar Jason Reitman, de “Juno”, “Amor Sem Escalas”, “Obrigado Por Fumar”, que é o diretor do filme em questão aqui. Filho de outro famoso realizador, Ivan Reitman, de “Os Caça-Fantasmas”, “Dave – Presidente Por um Dia”, “Junior”, entre outros, Jason começou a carreira tendo a criatividade como fio condutor, lógico, absorvendo todas as influências possíveis e imaginarias. O seu cinema traduz uma nostalgia atual, contrastando antagonismos e misturando redundâncias. A narrativa explora o excesso e ou a falta dentro da realidade aceitável e crível, apoderando-se da naturalidade como base estrutural. Os personagens, humanizados, passeiam pelo fracasso e pelo sucesso, deixando bem claro, que tudo é relativo e subjetivo. A escritora Mavis Gary (Charlize Theron, de “Vidas que se Cruzam”, “Monster”, “Doce Novembro”, “The Wonders”), divorciada, retorna a sua cidade natal no estado de Minnesota, nos Estados Unidos, disposta a reconquistar seu ex-namorado, Buddy Slade (Patrick Wilson, de “A Tentação”, “Uma Manhã Gloriosa”, “Esquadrão Classe A”).
Acontece que ele, atualmente, está casado com Beth (Elizabeth Reaser, da “Saga Crepúsculo”) e acaba de ganhar uma filha. Mesmo assim, Mavis não desiste e se reencontra com a rotina do colégio, passando a agir como uma adolescente. Há o ditado popular que diz “sempre queremos de volta o que perdemos”. Pois é, neste caso, a máxima aplica-se perfeitamente. Nesta aventura Road-movie, a protagonista conhece ou reconhece tipos pelos locais que passa. O mais incrível de todos, roubando magistralmente e completamente o tempo do longa-metragem é Patton Oswalt (de “O Desinformante”, “O Mundo de Andy”, “Magnólia”), que vive Matt Freehauf, um realista crônico, que tem noção absoluta de suas limitações e que sabe captar, de forma perspicaz, as fraquezas dos outros. No filme “Caminho Para o Nada”, há um diálogo que diz que escolher equivocadamente atores, destrói a possibilidade de se ter um filme bom. Em “Jovens Adultos”, Jason escolheu a dedo seu elenco e foi muito feliz por isso. Há entrega e cumplicidade. O título desmascara ações e reações, como as defesas que o ser humano utiliza a fim de esconder medos, nervosismos, timidez, defeitos físicos.
A bebida, o cigarro, exercícios físicos, a beleza e a moda em si comportam-se como recursos disponíveis a fingimento social. Assim, não deixam de se apresentar como jovens adultos, personificados no detalhe principal da personagem principal escrever um livro para adolescentes. A música e a fotografia complementam a atmosfera retro não muito distante assim, com fitas cassetes e outras referências aos anos oitenta. Trabalha-se expondo o lado mimado de uma geração que cresceu, mas não amadureceu. Então não há o entendimento sobre ética, valor moral e negativa, como respostas. Apenas o que conta é o próprio umbigo. Ela não se importa em ser odiada, detestada, “uma rainha do baile nojenta e louca”, achando que o casamento do “príncipe” pode ser “superado”. Como disse, as máscaras são usadas, mas também reiradas, quando retira o glamour de uma maquiagem, por exemplo, ou acordando pela manhã. Concluindo, um filme que merece ser assistido. Recomendo. Mais nova parceira entre o diretor Jason Reitman, a roteirista Diablo Cody e as produtoras Mandate Pictures e Mr. Mudd. A equipe realizou o sucesso de público e crítica Juno (2007). Charlize Theron foi indicada ao GLOBO DE OURO 2012 na categoria Melhor Atriz – Comédia/Musical.

Trailer
O Diretor
Jason Reitman, nasceu em Montreal, 19 de outubro de 1977, Quebec, é filho de Robert Geneviève, uma atriz, e também é filho do diretor de comédia de Ivan Reitman. Ele tem duas irmãs mais novas, Catherine e Caroline. Seu pai é judeu e nasceu na Checoslováquia, e sua mãe é uma cristã canadense. Quando ele era ainda uma criança, sua família se mudou para Los Angeles. Seu pai, Ivan, dirigiu varios sucesso como Ghostbusters, Twins, e Kindergarten Cop. Jason descreveu sua infância da seguinte forma: “Eu era um perdedor, um nerd, e pior de tudo tímido”. No final de 1980, Reitman começou a aparecer em pequenas peças de teatro e servindo como assistente de produção nos filmes de seu pai. Ele passou um tempo nas salas de edição de filmes de seu pai, aprendendo o processo. Ao longo de seus 20 anos, em vez de aceitar ofertas para fazer filmes comerciais, Reitman começou a fazer seus próprios curtas-metragens. Em 2005, o primeiro filme de Reitman Thank You for Smoking foi lançado. O filme foi um sucesso comercial e crítico. O filme arrecadou mais de 39 milhões dólares em todo o mundo, e foi indicado a dois Globos de Ouro. Depois do sucesso de Obrigado por Fumar, Reitman mencionou em uma entrevista que seu próximo filme seria a adaptação de outro livro (uma sátira de colarinho branco) em um filme. Este filme fulturamente seria Up in the Air. Seu segundo filme, Juno, gerou grande interesse depois que estreou em 2007 no Toronto Film Festival e foi lançado nos cinemas em dezembro de 2007. Ele recebeu inúmeras críticas positivas (Roger Ebert disse que esse era seu filme favorito de 2007) e recebeu indicações ao Oscar incluindo o Oscar de melhor filme, Ellen Page foi indicada ao Oscar de melhor atriz, Diablo Cody venceu o Oscar de melhor roteiro original, e Reitman foi indicado ao Oscar de melhor diretor. Na primavera de 2009, Reitman dirigiu Up in the Air, estrelado por George Clooney. Up in the Air é baseado em um romance escrito por Walter Kirn. O filme apresenta personagens do mundo real elenco de recém-rebaixado. Escondido dentro de um filme que parece ser sobre a terminação das empresas e da economia é um filme sobre a decisão de ficar sozinha ou não, observou Reitman em uma entrevista realizada pouco antes do lançamento nacional do filme. Sheldon Turner e Reitman ganharam o Globo de Ouro de Melhor Roteiro em 2010. Reitman recebeu ainda mais três nomeações ao Oscar nas categorias, Oscar de melhor filme, Oscar de melhor diretor e Oscar de melhor roteiro adaptado e ainda George Clooney foi indicado ao Oscar de melhor ator. Atualmente Reitman esta trabalhando com grande parte da produção de Juno, inclusive com a roteirista Diablo Cody, em seu novo filme Young Adult que conta com Charlize Theron no elenco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados