“O carrasco”
Por Marise Carpenter
Com voz e andar arrastados, Sean Penn interpreta um ex-astro de rock que chega aos 50 anos de idade cheio de amargura e tristeza mas também de compaixão e tolerância. Carrega nas costas a culpa de atos cometidos por dois de seus fãs e mais uma de ato próprio: a de não falar com seu pai por vários anos. Quando este morre, ele decide dar continuidade ao sonho do pai que era o de encontrar e se vingar de um oficial nazista pelas humilhações sofridas na Segunda Guerra. Daí em diante, o filme torna-se imensamente mais interessante por conta dos encontros que vão acontecendo no percurso (desenvolvimento) e a cena que vale o filme é a do seu encontro com o carrasco do pai e a vingança por ele arquitetada. Essa tarefa de redenção faz com que o ex-astro também se dispa e se liberte. Ah, a última cena é muito bonita também, Sean Penn! O filme “Aqui é Meu Lugar” representa mais uma obra experimental (na técnica e narrativa) do italiano Paolo Sorrentino (de “As Consequências do Amor”, “Il Divo”). Ganhou o Prêmio Ecumênico do Júri de 2011 do Festival de Cannes e exibido no Festival do Rio do mesmo ano. Filmado em várias locações nos Estados Unidos, como Novo México, Michigan e Nova York, além de filmagens na Irlanda, e Orçamento estimado de 25 milhões de euros, o filme representa a desconstrução proposital (e objetivada) do ator de Sean Penn. O título também é o mesmo de uma música do grupo Talking Heads, liderado pelo músico, cantor e compositor David Byrne (que participa do filme, interpretando a si mesmo).

Cheyenne (Sean Penn) é um astro da música de 50 anos de idade, afastado dos palcos há mais de duas décadas. Deprimido e refém de sua própria fama, ele vive de renda, deprimido e angustiado. Quando recebe a notícia que seu pai, que não vê há 30 anos, está muito doente, resolve visitá-lo em Nova Iorque, mas chega tarde demais. Decidido a encontrar aquele que foi o algoz do seu pai nos tempos da guerra, no campo de concentração de Auschwitz, ele sai em busca pelos Estados Unidos numa viagem de descoberta pela América.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados