“Em busca do tempo perdido tarde demais”

A opinião (por Marise Carpenter)

Filme de excelente qualidade, direção criativa e segura, atores com interpretação naturalíssima daquele tipo que nem parece que estão atuando. Assim é Bonsai. Um filme daqueles que dá vontade de você ficar assistindo, assistindo… porque assim é Bonsai. Um dia após o outro. O expectador vai acompanhando como que lendo páginas de um livro, assim como os personagens fazem no filme ao ler Proust. O filme já começa contando o final, o que o torna genial no primeiro instante e ganha o expectador de cara. E vai ganhando e continua a ganhar até o fim. O filme vai alternando entre um presente e um passado de 8 anos onde um dá entendimento e complementa o outro como se fossem dois filmes e assim ele nos coloca nesse jogo de querer ir para o passado para entender o que está sendo dito agora. Muito interessante! Uma necessidade do presente fez o protagonista ir em busca do tempo perdido, porém, tarde demais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados