Ficha Técnica
Diretor: Alberto Mar
Roteiro: Tim McKeon e Kevin Seccia, baseado nos personagens criados por Hanna & Barbera
Vozes: Jason Harris / Hermes Baroli, Jason Harris / Fábio Vilalonga, Chris Edgerly / Élcio Sodré, Jason Harris / Paulo Porto
Música: Leoncio Lara
Edição: John Bryant
Produção: José C. Garcia de Letona e Fernando de Fuentes
Distribuidora: PlayArte
Estúdio: Illusion Studios
Duração: 87 minutos
País: México/ Argentina
Ano: 2011
COTAÇÃO: BOM
A opinião
“Manda-Chuva: O Filme 3d” saiu das telas da televisão e ganhou os cinemas. Com cópias em 2D e 3D, as crianças poderão aproveitar um filme voltado, exclusivamente, ao mundo infantil. Aos adultos, a animação cinematográfica atinge a memória afetiva, despertando lembranças passadas, quase sinestésicas. O personagem central, Manda-Chuva – chamado de M.C. por amigos próximos – é o líder de uma gangue de Nova York de gatos de rua: Bacana, Espeto, Batatinha, Gênio (seu apelido é uma ironia a sua dificuldade de raciocínio) e Chu-Chu, sendo monitorados pelo Guarda Belo, que tenta de forma ineficaz expulsar a gangue do beco. A única razão para ele querer se livrar dos gatunos era que Manda-Chuva e sua gangue estavam constantemente tentando ganhar dinheiro rápido – normalmente por golpes ilegais.
No filme em questão, eles irão enfrentar um novo chefe de polícia que não está nem um pouco feliz com o que a turma tem aprontada. Lucas Boa Pinta, o novo comissário, tem um arsenal tecnológico a seu serviço e vai tentar se apoderar da cidade, impondo leis absurdas. A animação é dirigida pelo argentino Alberto Mar (de vários episódios de “Chaves em Desenho Animado”). Como todo argentino, o diretor imprime características de sua nacionalidade: a definição intrínseca de seus personagens. Cada um sabe o que é, quais as limitações e pontos positivos, o que ajuda na construção de caráter e lidar com os julgamentos externos. A dublagem satisfaz os espectadores, principalmente pelo gato com sotaque baiano. A série animada televisiva (Top Cat, no original) é da Hanna-Barbera, transmitida de 27 de setembro de 1961 a 18 de abril de 1962, com uma temporada de 30 episódios, foi o primeiro desenho a ser exibido em horário nobre nos Estados Unidos, pela rede ABC.
Ao contrário de suas séries irmãs, Os Jetsons e Jonny Quest, Manda-Chuva não conseguiu um renascimento nos anos 1980. No Brasil, o personagem Manda-Chuva foi dublado pelo ator Lima Duarte. Além disso, a cidade de Nova York foi substituída por Brasília na nossa versão. A recente animação destaca detalhes – caricatos e físicos – como forma de conduzir com realismo a história fantasiosa. A transformação mais nítida foi do Guarda Belo, que está mais profissional do que era, e muito menos razinza. O tom dado a ele é de total humanização. Concluindo, um filme simples, ingênuo, mesmo sendo perspicaz em muitos pontos, quando referência Cirque du Soleil, telefone moderno e Menudo (alusão à época da versão antiga). Às crianças, um longa-metragem que cativa. Aos grandinhos, interessante, fofo, mas cansativo do meio ao final. O desenho animado é mais popular no México do que nos Estados Unidos, o que explica o fato do longa-metragem ser realizado por produtoras do México e da Argentina.


O Diretor
Alberto Mar dirigiu vários episódios de “Chaves em Desenho Animado”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados