Ficha Técnica

Direção: Wes Craven
Roteiro: Ehren Kruger
Elenco: Neve Campbell, Emma Roberts, David Arquette, Courteney Cox, Hayden Panettiere, Marley Shelton, Adam Brody, Roger L. Jackson
Fotografia: Peter Deming
Música: Jeffree Bloomer
Direção de arte: Gerald Sullivan
Figurino: Debra McGuire
Edição: Peter McNulty
Efeitos especiais: Prime Focus / Rez-Illusion
Produção: Wes Craven, Iya Labunka
Distribuidora: Imagem Filmes
Estúdio: Dimension Films / Midnight Sun Pictures
Duração: 111 minutos
País: Estados Unidos
Ano: 2011
COTAÇÃO: MUITO BOM

A opinião

Sidney, Sidney, Sidney… “Qual o seu filme de terror favorito?”, a frase que persegue a personagem do filme de terror adolescente que marcou época está de volta em “Pânico 4”. O longa amadureceu. A narrativa opta pela auto-ironia de forma perspicaz e inteligente. O que se observa também é uma critica à fama. A sociedade, principalmente os jornalistas, ávidos por notícias exclusivas, adiciona elementos ao que já é, tornando-se investigadora. É um prato cheio a antropologia, porque analisa as causas e as consequências de se diferenciar dos outros, não importando se é pelo caminho da violência e do egoísmo. O individualismo exacerbado virou característica intrínseca. Cada um precisa sobreviver a sua maneira, lidando com a crueldade explícita dos próximos (alunos que utilizam o bullying a fim de impedir que seus medos sejam descobertos) e ou com a massificação da mídia, que tenta a todo instante criar super-heróis sem falhas. A pressão contemporânea desencadeia atitudes radicais em catarses mentais arquitetadas por anos a fio. A superação em relação a tudo precisa acontecer. Se uma morte transfere o “poder” a quem faz, então para eles o resultado é satisfatório. Quanto mais a ansiedade e a necessidade de se ser o melhor representar um futuro, mais a mente humana se deixará manipular.

São máquinas dos outros. De alguém que teve a ideia que a definição de algo tem que ser plastificada e generalizada. Até que ponto se pode chegar para ganhar a atenção e flashs da imprensa? Já se sabe que essa fama é passageira. Por isso a criatividade e luta são diárias. Mata-se um leão por dia. No filme em questão, dez anos se passam da última versão. Sidney Prescott (Neve Campbell) é agora uma reconhecida autora de livros de auto-ajuda. Na última viagem de divulgação de seu livro, Sidney volta a Woodsboro. Lá ela retoma contato com o xerife Dewey e Gale, agora casados. O problema é que a volta da moça traz novamente Ghostface (voz original de Roger L. Jackson). “Nova década, novas regras”, diz-se. “Pânico 4” transpassa uma história com mais sobriedade. É um filme maduro, com ironia das antigas versões e de outros filmes. Os excessos referenciais não se comportam como exagerados. Há um equilíbrio entre a sagacidade dos diálogos e dos elementos que precisam acontecer, já que é um gênero de terror (os clichês são necessários: sustos, manipulações, suspense…).

Porém é diferente. Há algo a mais. A vida cotidiana é humanizada e definida por esses sarcasmos que inferem a séries de televisão, livros e inúmeros filmes. Alfinetam até as versões (continuações) quando apresentam “Stab” (o filme “pânico” fictício dos personagens) dirigido por Robert Rodriguez (o mestre do trash). O longa do diretor Wes Craven (criador da “Hora do Pesadelo” com Freddy Krueger) ganha o espectador logo no início. É a metalinguagem dentro da metalinguagem. A imagem vira uma figura de linguagem para que seja embasada o que se vê e o que se conta. Não direi quem é o assassino, mas posso garantir que em todo final deste gênero a apelação faz parte do pacote. Portanto, é um filme que mescla diversão e auto-ironia extremamente bem construída, não fugindo das reais características do gênero em ação. Recomendo.

O Diretor

Wes Craven nasceu em 2 de agosto de 1939 em Cleveland, Ohio) é diretor, produtor, roteirista e editor de cinema norte-americano, famoso por ter criado as famosas franquias de filmes de terror “Pânico” e “A hora do pesadelo”.

Filmografia

2011 – Pânico 4 (Scream 4)
2010 – A Sétima Alma (My Soul to Take)
2006 – Paris, Te Amo (Paris, Je T’Aime)
2005 – Vôo Noturno (Red Eye)
2005 – Amaldiçoados (Cursed)
2000 – Pânico 3 (Scream 3)
1999 – Música do Coração (Music of the Heart)
1997 – Pânico 2 (Scream 2)
1996 – Pânico (Scream)
1989 – Shocker – 100.000 Volts de Terror (Shocker)
1984 – A Hora do Pesadelo (A Nightmare on Elm Street)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados