Ficha Técnica

Diretor: Martin Campbell
Roteiro: William Monahan
Elenco: Mel Gibson, Danny Huston, Shawn Roberts, Bojana Novakovic
Fotografia: Phil Meheux
Trilha Sonora: John Corigliano
Produção: Tim Headington, Graham King, Michael Wearing
Distribuidora: Imagem Filmes
Estúdio: GK Films
Ano: 2009
País: Estados Unidos
COTAÇÃO: BOM

A opinião

O diretor de projetos comerciais Martin Campbell escalou Mel Gibson para protagonizar um filme policial, com todas as suas artimanhas e elementos desse gênero. O diferencial é que neste caso as interpretações são sóbrias, sem excessos e clichês desnecessários. A repetição do suspense, da tensão, da manipulação do entendimento do espectador e das reviravoltas da trama coloca-se em pauta, mas com extrema competência.

Aborda a vida de Thomas Craven (Mel Gibson), detetive de homicídios no departamento de polícia de Boston. Sua filha é morta, na frente de sua casa. Craven inicialmente acha que ele seria o alvo mas, quando inicia as investigações, adentra a um complicado esquema de corrupção.

Aprofunda o relacionamento de paterno, os sentimentos de perda e amor são retratados por massificações reais da alma do pai, que criam a tormenta e a vingança gerando uma interação auditiva e visual da fantasia do não real. “Decidir se vai crucificar ou ser crucificado”, diz-se.

O subjetivismo e a internalização dos personagens expressa-se nos ângulos, tipos e enquadramentos de cameras, que demonstram realismo de ações com ou não a utilização de imagens pessoais. Os diálogos contidos e não exagerados respeitam a inteligência de quem assiste, por não usar caricaturas e estereótipos de olhares e gestos. A cena da morte da filha é convincente, violenta e muito bem realizada. “Policial envolvido” – como é chamado quando um crime envolve a família do detetive. Há a condescendência de todos perante ao que perdeu a filha.

“Tudo é ilegal em Massachusetts”, diz-se quando intensifica o que não pode faltar em uma película dessa categoria. Há músicas sentimentais, como a do sangue da toalha da filha que desce pelo ralo do banheiro, que tentam despertar lágrimas, há carros em alta velocidade, há tiros, socos, lutas, casas sendo arrombadas, perseguições, tudo está lá, entretando se as mesmices forem abstraídas , existe um sincero e despretensioso filme sobre os cuidados comedidos entre uma família de duas pessoas.

O sarcasmo resignado de crítica em “Todos somos terminais” explicita um final feliz digno da vontade de cada um que viveu a experiência de todas as armas químicas, mesmo sem a exposição. Que foram envenenados pela raiva e pelo questionamento de que mundo é este que estamos sobrevivendo.

Vale a pena ser visto. Mistura ação com inteligência. Recomendo. Os prós ganham dos contras, fornecendo uma cotação normal de um longa bom.

O Diretor

Martin Campell (Hastings, 24 de Outubro de 1940) é um cineasta neozelandês, conhecido pelos filmes 007 Contra GoldenEye, Limite Vertical, A Lenda do Zorro e 007 – Cassino Royale. Foi oferecida a Campbell a direção de Bond 22 (seqüência de 007 – Cassino Royale) mas, o diretor diz ser pesada demais a carga de trabalho. Em seu lugar, entrou Marc Forster, diretor de A Última Ceia.

Filmografia

1973 – The Sex Thief
1974 – Three for all
1975 – Eskimo Nell
1988 – Inocente ou culpado (Criminal law)
1991 – Sem defesa (Defenseless)
1994 – Fuga de Absolom (No escape)
1995 – 007 contra Goldeneye (GoldenEye)
1998 – A máscara do Zorro (The Mask of Zorro)
2000 – Limite vertical (Vertical Limit)
2003 – Amor sem fronteiras (Beyond borders)
2005 – A lenda do Zorro (The Legend of Zorro)
2006 – 007 – Cassino Royale (Casino Royale)

O Ator

Mel Columcille Gerard Gibson nasceu em Peekskill, Nova Iorque, 3 de janeiro de 1956.

Mel Gibson, quando entrou no cenário cinematográfico, recebeu excelentes elogios de críticos de cinema, e muitas comparações com estrelas do cinema clássico. Em 1982, Vincent Canby escreveu que “Mr. Gibson lembra o jovem Steve McQueen… Eu não consigo definir a “qualidade de estrela”, mas de qualquer maneira, Mr. Gibson a tem”. Gibson também foi tido como “uma mistura de Clark Gable e Humphrey Bogart”. A aparência do físico de Mel Gibson faz dele natural para papéis de filmes de ação, como na série de filmes “Mad Max”, e na série de filmes “Máquina Mortífera”. Depois, Gibson expandiu seus trabalhos para uma variedade de papéis, como Hamlet, e comédias como Maverick e Do que as mulheres gostam. Seus maiores sucessos financeiros e artísticos vieram quando ele expandiu seu trabalho para a direção e a produção, como em The Man without a Face, em 1993, Coração Valente, em 1995, O Patriota, em 2000, Paixão de Cristo, em 2004, e Apocalypto, em 2006. Gibson foi cotado para papéis em Batman, GoldenEye, Amadeus, Gladiador, The Golden Child, X-Men, Robin Hood: Prince of Thieves, Runaway Bride e Primary Colors. Sean Connery já sugeriu que Gibson fosse James Bond.

No final de julho de 2006 foi preso por dirigir em alta velocidade e embriagado, e se indispôs com a comunidade judaica ao desferir impropérios contra os judeus. Dias depois, Gibson se desculpou perante a comunidade judaica, admitiu que tem problemas de alcoolismo e anunciou que iniciaria tratamento para se livrar do vício. Em um comunicado enviado ao popular programa de TV, Access Hollywood, disse: “Agi como uma pessoa completamente fora de controle quando fui detido, e disse coisas infames, que não são verdadeiras”.

Filmografia Como Ator

2005 – Mad Max: Fury road
2004 – Paparazzi
2003 – The Singing Detective
2002 – Fomos Heróis
2002 – Sinais
2001 – Breaking the news
2000 – Wallace and Grommit go chicken (locução)
2000 – O patriota
2000 – A fuga das galinhas (locução)
2000 – Do que as mulheres gostam
2000 – O hotel de um milhão de dólares
1999 – O troco
1998 – Máquina mortífera 4
1997 – O encanto das fadas
1997 – Teoria da conspiração
1997 – Um dia, dois pais
1996 – O preço de um resgate
1995 – Gasparzinho, o fantasminha camarada
1995 – Pocahontas (locução)
1995 – Coração Valente
1994 – Maverick
1993 – O homem sem face
1992 – Máquina Mortífera 3
1992 – Eternamente Jovem
1990 – Air America – Loucos pelo perigo
1990 – Alta Tensão
1990 – Hamlet
1989 – Máquina Mortífera 2
1988 – Conspiração tequila
1987 – Máquina Mortífera
1985 – Mad Max 3 – Além da cúpula do trovão
1984 – Mrs. Soffel – Um amor proibido
1984 – O rio do desespero
1984 – Rebelião em Alto-mar
1982 – Attack Force Z
1982 – O ano em que vivemos em perigo
1981 – Galipoli
1981 – Mad Max 2 – A Caçada Continua
1980 – The Chain Reaction
1979 – Mad Max
1979 – Tim – Anjos de aço
1977 – O último Verão

Filmografia como Diretor

1993 – O Homem sem Face
1995 – Coração Valente
2004 – A Paixão de Cristo
2006 – Apocalypto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados