A opinião

É um filme sobre boas ações. A trajetória de uma pessoa para retirar jovens do tráfico. E é um filme evangélico. Extremamente. Não perde a chance de evangelizar nem um instante sequer.Embalado pelas músicas da própria narradora do título. A narrativa possui depoimentos (ficcionais) de artistas famosos sobre histórias e personagens reais, que viveram tudo aquilo. Inclui-se simulações dos acontecimentos passados. O que se interpretou por palavras é interessante, destacando Fernanda Lima, Thiago Rodrigues, Letícia Sabatela, Marcelo Antony, Aline Moraes. Alguns outros não convenceram, deixando o filme chato e religioso demais. Já as encenações são teatrais, exageradas, ingênuas, inexperientes, parecendo um programa evangélico de televisão. Não faz acreditar. Ao contrário, chega a ser patético. Um filme tinha tudo: um excelente argumento, um rol gigante de atores conhecidos e base cinematográfica. Não emocionou e nem aprofundou. Apresentou-se como politicamente correto demais. Sem palavrões, sem explosões. Seguiu a linha de um longa infantil. Porém se o objetivo era transmitir apenas a mensagem e não uma boa técnica de cinema, o filme, de forma capenga, conseguiu.

Ficha Técnica

Direção: Anderson Correa & Marco Antonio Ferraz
Elenco: FlordeLis, Reynaldo Gianecchini, Letícia Sabatella, Débora Secco, Marcelo Antony, Letícia Spiller, Cauã Reimond, AlineMoraes, Fernanda Lima, Rodrigo Hilbert, Ana Furtado, Erik Marmo, Guilherme Berenguer, Pedro Neschling, Sérgio Marone, Thiago Rodrigues, Bruna Marquezine, Caroline Oliveira, Cris Vianna, Graziela Schmitt, Isabel Fillardis, Júlia Mattos, Eduardo Galvão, Tiago Martins, Gisele Itie, Alexandre Zachia, Roumer Canhães
Direção de Fotografia: Carlos Cerqueira
Figurino: Ale Duprat e Caroline Darrieux
Trilha Sonora: Mk music
País: Brasil
Ano: 2009

A Sinopse

Nascida e criada na favela de Jacarezinho, Flordelis começou em 1993 a subir os morros da cidade para aconselhar menores envolvidos com o tráfico, falando de JESUS para eles. Um ano após iniciar o trabalho, a missionária na época, levou um susto ao ser acordada de madrugada por algumas crianças desesperadas: acabara de ocorrer uma chacina na Central do Brasil e várias crianças haviam sido baleadas, na noite do acontecimento existiam tantas crianças em sua porta que ela mesma não acreditou no que estava vendo e por isso começou a ‘juntar’ as crianças num total de 37, entre 14 ainda eram recém-nascidas. Ajudada por Herbert de Souza (Betinho) e, em contrapartida, ajudou um ex-traficante do crime a se formar em Direito. Hoje, ela mora em niterói, no Rio de Janeiro, é mãe adotiva de todas essas crianças.

Os Diretores

Marco Antônio Ferraz, 40 anos, nasceu na favela de São Carlos, na cidade de Volta Redonda, Rio de Janeiro, e é autodidata. Atualmente, assina editoriais para diferentes revistas internacionais como Vogue, GQ, Twill, East Weast e especialmente Vanity Fair. Já trabalhou com celebridades internacionais como Antonio Banderas, Mónica Bellucci e Emanuelle Beart.

Anderson Corrêa, nascido no Rio de Janeiro, filma seu primeiro longa-metragem aos 33 anos depois de ter escrito e dirigido três curtas (“Mais que um Amor”- 2004, “No Coraçáo de Copacabana” – 2005 e “Copacabana” e “Interrupçáo” – 2006). Corrêa também é responsável por dirigir de campanhas publicitárias, vídeos institucionais, comerciais de TV e dois filmes experimentais (“O Suspiro da Vida” e “Escaleno” – 2007). Em 2005, foi convidado pelo editor de moda Marco Antonio Ferraz para ser codiretor de “Flordelis”. Corrêa acaba de escrever também seu novo longa-metragem, desta vez uma comédia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados