A opinião

É um documentário globalizado. Há os choques elétricos para “apagar as memórias revolucionárias e injetar novas anti-pensantes”, diz-se. O choque é uma técnica radical utilizado inclusive pela Inteligência Americana. “Só uma crise provoca mudanças significativas”, acredita-se Keynes. Há os choques de guerra, econômicos, de repressão. “Quando estudantes não divagam, a coisa está séria”, dito neste didático e comum como todo deste gênero. Não acrescenta, salvo as inúmeras imagens e videos de arquivos, contando a história. É baseado no livro de Naomi Klein com uma argumentação dramática e limitada. É um filme preocupado em não mostrar demais, apenas o óbvio do passado. Tem características apelativas,’sentimentalóides’ com músicas de manipulação e repetições de massificações já manjadas. “Estamos ficando resistentes aos choques”, diz a autora. O ponto extremamente forte são os arquivos. Imagens reais de épocas remixadas gerando um resultado muito bom. O restante é descartado.

Ficha Técnica

Direção:Michael Winterbottom, Mat Whitecross
Roteiro:Michael Winterbottom, Mat Whitecross
Fotografia:Ronald Plante, Rich Ball
Montagem:Michael Winterbottom, Mat Whitecross
País:Reino Unido
Ano:2009

A Sinopse

Em A Doutrina do Choque, a autora Naomi Klein discorre sobre o advento do capitalismo-catástrofe, doutrina que demonstra como governos e grandes empresas exploram a economia de países afetados por guerras ou desastres naturais. Remontando às teorias do economista neo-liberal Milton Friedman e traçando exemplos na história contemporânea, o filme mostra que o propagandeado mercado livre internacional não foi erguido democraticamente. Além de apresentar os argumentos de seu livro, Klein exibe materiais de arquivo e entrevistas com testemunhas-chave do processo. Festival de Berlim 2009.

Os Diretores

Michael Winterbottom (a direita) nasceu em 1961, na Inglaterra. Estudou Cinema e Televisão na Universidade de Bristol e na Escola Politécnica de Londres. Seu primeiro filme para cinema foi O Beijo da Borboleta (1994). Em 2003, ganhou o Urso de Ouro em Berlim com Neste Mundo.

Filmografia

1990 – Forget About Me
1992 – Under The Sun
1993 – Love Lies Bleeding
1994 – Butterfly Kiss
1995 – Go Now
1996 – Jude
1997 – Bem-Vindo a Sarajevo
1998 – I Want You
1999 – With or Without You
1999 – Wonderland
2001 – The Claim
2002 – A Festa Nunca Termina (24 Hour Party People)
2003 – Neste Mundo
2003 – Código 46
2004 – Nove Canções
2006 – A Cock and Bull Story
2006 – O Caminho para Guantánamo
2007 – A Mighty Heart (com Angelina Jolie)

Mat Whitecross estudou Inglês na Universidade de Londres. Colabora com Michael Winterbottom desde 2002. Em 2006, codirigiram Caminho para Guantánamo, vencedor do Urso de Prata em Berlim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados