A opinião

O filme é um novelão. Possui todos as características oscarizadas. Música no momento certo para emocionar ou passar o tempo. É um romance épico. Não há nada de novo. Nem uma novidade na camera. Conta-se a história de forma honesta. É um filme bem feito, mas apelativo. Isabelle Huppert, com seus olhos perdidos e de quem sabe o que quer, comporta-se como ela mesma (há neste blog uma postagem sobre ela – arquivo setembro). A trama tem os seus personagens oportunistas, sem moral. Falidos manipulando ricos e pobres. É um teatro, com suas interpretações ora exageradas, ora competentes. A paisagem vale o filme. “Um defeito no anel de diamantes traz má sorte. Tem muita sujeira por dentro”, diz-se exemplificando. O duração cansa, chega a ser chato.

Ficha Técnica

Diretor: Rithy Panh
Roteiro: Michel Fessler (writer)
Elenco: Isabelle Huppert, Gaspard Ulliel, Astrid Berges-Frisbey, Randal Douc, Vanthon Duong, Stéphane Rideau, Lucy Harrison, Doeun Thenn Nan, Chorn Solyda, Ingrid Mareski, Louis Arsac, Rosa Meas, Mang Son, Phén Vann, Jean-Pol Brissart
País: França
Ano: 2008

A Sinopse

Em 1931 uma viúva francesa vive com seus dois filhos na Indochina sob administração colonial. Todo o dinheiro da família foi investido na compra de terras que se revelaram inférteis, e que são anualmente inundadas pelo mar. Lutando contra os burocratas corruptos que a passaram pra trás, ela empreende o impossível projeto de construir uma barragem entre sua propriedade e o oceano, no qual conta com a ajuda dos camponeses. Enquanto isso, sua filha Suzanne desperta o interesse do chinês M. Jo, filho de um poderoso homem de negócios. Baseado no romance homônimo de Marguerite Duras.

O Diretor

Nasceu em 1964, no Cambodja, sob o regime do Khmer vermelho. Fugindo do campo de trabalho ao qual foi enviado, chegou em 1980 a Paris, onde ingressou no IDHEC. Em 1989 realizou seu primeiro filme, Site 2. Com Condenados à Esperança (1994) concorreu à Palma de Ouro em Cannes. Em 2003 exibiu S-21, A Máquina de Morte do Khmer Vermelho, e em 2007 ganhou o prêmio de Melhor Documentário no European Film Awards com Papel Não Embrulha Brasas (2007).

O Ator

Gaspard Ulliel nasceu em Paris, dia 25 de novembro de 1984.

Filmografia

1999 – Juliette
2000 – Julien l’apprenti
2001 – L’oiseau rare, como Gaspard e O Pacto dos Lobos
2002 – Beije quem você quiser
2004 – Eterno Amor e Le Dernier Jour
2005 – La maison de Nina
2006 – Paris, Eu te amo, como Gaspard
2007 – Hannibal – a origem do mal, como Hannibal Lecter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados