A opinião


Por Fabricio Duque

Definitivamente é um filme social. Atenta às desigualdades. Mas também é um filme pop embalado ao som de Cat Power, Radiohead e Ladytron. Atual, pois expressa o vazio de se viver numa fantasia – aos que possuem dinheiro. A necessidade da busca de algo que não se sabe. A realidade mostra o outro lado da moeda, completando e satisfazendo de forma momentânea a avidez da procura. O que se acha é complexo demais para absorver. Então a busca para o antigo mundo precisa ser o mais rápido possível. A fotografia genial de Marcel Zyskino conduz bem o caminho. A menina é um dos pontos fortes do filme. Foto: Divulgação.
Com Gael García Bernal, Michelle Williams, Marife Necesito, Thomas McCarthy 2009 / 120 / Suécia, Holanda. Mostra Panorama do Festival de Rio 2009. Leo e Ellen vivem em Nova York com a filha de oito anos, Jackie. Criador de um website de sucesso, ele passou a transitar num universo pautado por grandes somas de dinheiro e importantes decisões. Já Ellen é cirurgiã, e passa longas horas trabalhando num hospital. Obrigado a viajar à Tailândia a negócios, Leo tenta mudar sua perspectiva de vida durante a estadia. Ao mesmo tempo, Ellen questiona suas prioridades ao perceber que a filha prefere a companhia de Gloria, sua babá filipina. Gloria, por sua vez, tem dois filhos em seu país natal que fazem de tudo para se juntar a ela.
Foto: Divulgação

O Diretor
Karl Frederik Lukas Moodysson (17 de Janeiro de 1969) é um cineasta sueco. Lançou um livro de poemas com 17 anos de idade. Um dos novos expoentes do cinema escandinavo, realizando produções que criticam duramente e satirizam, ainda que de maneira bastante negativa e violenta, a sociedade e o comportamento humanos. Seu primeiro longa metragem, “Amigas de Colégio”, lançado em 1998, foi bem recebido pela crítica, tornando-o conhecido no meio cinematográfico. Seus dois filmes seguintes: “Bem-vindos” e “Para Sempre Lilya” também foram muito elogiados pelos críticos de cinema e receberam vários prêmios internacionais. Já o longa, “Um Vazio no Meu Coração”, foi considerado fracasso de público e crítica. Um dos motivos listados foi ter incluído cenas chocantes demais sem necessidade.
Curiosidades
Moodysson é o único diretor sueco a ganhar quatro vezes o prêmio Guldbagge Awards (maior prêmio de cinema na Suécia).
Filmografia
2004 – Um Vazio No Meu Coração (Hål i mitt hjärta, Ett/A Hole in my Heart)
2003 – Terrorister (Terrorists: The Kids They Sentenced)
2002 – Para Sempre Lilya (Lilja 4ever)
2000 – Nya landet, Det (The New Country)
2000 – Bem-vindos (Tillsammans)
1998 – Amigas de Colégio (Fucking Åmål)
1997 – Bara prata lite (Talk)
1996 – Uppgörelse i den undre världen, En
1995 – Det var en mörk och stormig natt

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados